Funarte apresenta
De 6 de agosto a 30 de novembro - Ocupação do Teatro Cacilda Becker

Residências Artísticas / Parceria Dança em Trânsito
Experiências de participações em residências artísticas nacionais e/ou internacionais

Dia 05 de Agosto, Terça-feira

19h – Abertura/Inauguração do projeto 17 Semanas de Dança

casa_abelha

A 1ª semana do projeto abrirá espaço entre suas atividades para a abertura/inauguração do próprio projeto, que acontecerá após a mesa redonda da noite, quando a bailarina e coreógrafa Flávia Tápias apresentará o trabalho Casa de Abelha & convidados, em apresentação fechada para convidados. O espetáculo Casa de Abelha foi criado a partir do livro de crônicas Fio de Miçanga, de Mia Couto, e teve sua estreia em setembro de 2013, no espaço La Briqueterie Vitry – sur – Seine, um centro de desenvolvimento coreográfico em Paris/França.

Após a apresentação, a noite se encerrará com um coquetel, para selar e brindar a inauguração do projeto.

Dia 06 de Agosto, Quarta-feira

Das 17h às 19h – Workshop – Transformer Les Notions de Prèsence

>Com Benoît Lachambre / Canadá, e João Costa Espinho / Portugal.

benoit

Transformar a noção de Presença

É um encontro onde iremos trabalhar a partir do corpo de cada um e propor uma pesquisa focada na hiper estimulação dos sentidos, tendo como base a distribuição do peso, das forças e da energia do corpo. Cada participante será convidado a aprofundar os seus sentidos por uma tomada de consciência da natureza do gesto num contexto específico e num espaço vivo.

O objetivo é chegarmos a um estado de disponibilidade em harmonia com o espaço interno de cada um.
Este processo permite a cada participante encontrar dinâmicas de movimento interior e exterior e propõe uma consciência holistica do corpo em relação com o espaço em torno.

INSCREVA-SE por aqui espacotapias2014@gmail.com.


19h30 – Mesa redonda – Experiências vividas em residências artísticas

Artistas nacionais e internacionais falarão sobre suas experiências dentro das residências artísticas das quais tiveram a oportunidade de participar ou que promoveram em suas próprias companhias. Serão artistas em diferentes momentos de suas carreiras, dando depoimentos sobre as aprendizagens adquiridas com as experiências vividas, e as influências que tais experiências tiveram em sua trajetória, seja na ampliação de horizontes, seja em redirecionamentos nos rumos de suas caminhadas.

Além de compartilhar com a plateia suas experiências e suas visões no mundo da dança contemporânea, estes artistas convidados também responderão a perguntas, numa troca que certamente acrescentará a todos.

Cada artista participante desta mesa redonda também apresentará seu trabalho durante a semana, conforme registrado na programação.

A responsável pela semana – Flávia Tápias – também estreará em território nacional seu trabalho “ABUNDÂNCIA” , que foi criado numa residência artística na França em início de 2014.

Importante ressaltar que nesta semana será iniciada uma residência artística apoiada pelo projeto 17 SEMANAS DA DANÇA, dentre outros parceiros, com a participação de: Flávia Tápias/ Brasil, Romual Kabore/África e Gaétan Jamard/ França. O resultado desta residência será apresentado na 2ª semana de novembro.

Convidados:
Antônio Rodrigues/ Brasil, Benoît Lachambre / Canada, Jõao Costa Espinho / Portugal, Romual Kabore / Africa.
Mediadora: Luciana Ponso/ Brasil.

Dia 07 de Agosto, Quinta-feira

19h30 – Espetáculos – Trois Mots e La Vie (50 min)

>Com Benoît Lachambre / Canadá, e João Costa Espinho / Portugal (assistente).

trois_mots

Trois Mots é “diálogo coreográfico entre o experiente coreógrafo e bailarino canadense, vencedor do Grand Prix de la Danse de Montréal 2013, e o intérprete português que, em 2008, representou seu país na Biennale of Young Artists from Europe and Mediterranean, em Puglia, Itália. Construída a partir das palavras “I Love You”, e ainda em processo, Trois Mots se apropria do amor como um motor e da realidade como fonte de expressão, para indagar: quando o amor toma conta dos corpos, que forma assumirá a dança?” Ângela de Almeida

FICHA TÉCNICA

Coreografia e interpretação – João Costa Espinho e Benoît Lachambre
Produção – Par B.L.eux
Coprodução – Usine C
Apoio a residência – Salabranca Lab Paris, La Cartoucherie, Companhia Instável, Mundano galeria, La Marmita, The Garden -Museum of Arte and Science

 

lavie

La Vie é “um solo autobiográfico sobre a esperança, escrito por João Costa Espinho em torno de suas experiências como estrangeiro residente em Paris, com a perda de um grande amor e com o enfrentamento de um recomeço na vida a partir de um ponto zero”. Ângela de Almeida

FICHA TÉCNICA

Criação – João Costa Espinho
Coprodução – Salabranca lab Paris, The Garden – house museum of art and Science e Collectionnoir.

Dia 08 de Agosto, Sexta-feira

20h – Espetáculo – Abundância (60 min)

abundancia

Com GRUPO TÁPIAS – Rio de Janeiro/RJ

Intérpretes – Flávia Tápias/Rj e Paris, Gaétan Jamard/Lyon, Marie Urvoy/Paris e Toni Rodrigues/RJ.
Abundância é um projeto de composição coreográfica de dança contemporânea, fruto de argumentações a respeito das exigências que a vida moderna impõe, do bombardeio de informações decorrentes das facilidades das novas tecnologias, e a consequente aceitação ou não dos novos conceitos impostos, e do consumismo desenfreado de produtos e ideias. Parte das influências dos novos tempos em nossas vidas, nossas relações pessoais e sociais, e chega ao novo limite da dança em sua relação com a tecnologia.

A composição coreográfica é constituída por 4 (quatro) partes diferentes, com cerca de 15 (quinze) minutos de duração cada uma:

Abundância Parte 1 – “Too much” / Duo

Criação coreográfica realizada em parceria da bailarina Flávia Tápias com a Cia La Intrusa Danza, Madri/Espanha, através dos coreógrafos Virgínia García e Damián Muñoz, que se inspiram nos 7 pecados capitais para a construção do trabalho, considerando a concepção do muito, do abundante. Muita informação, muita exigência, muitas ideias (– a seguir)? Deixar-se engolir ou ficar de fora?

Abundância Parte 2 – “Que dia é hoje?” / Duo

Criação coreográfica de Flávia Tápias, com pesquisa de texto de Bruna Pinna, aborda de forma bem humorada uma visão do consumismo desenfreado, da chegada do novo com novas perguntas. Trabalha também uma ideia do novo desejo na relação homem-mulher. Nos tempos atuais, o que mudou e o que ficou entre Adão e Eva pós-modernos? O surgimento de novas posturas e desejos de homens e mulheres face às novas situações da vida atual, mudanças no mercado de trabalho e crises de identidade, entre outras situações, misturam conceitos e transformam a forma de os sexos se enxergarem um ao outro. O texto “Exigências da vida moderna”, de Luís Fernando Veríssimo, é utilizado no processo de desenvolvimento desse trabalho.

Apoio: Esse trabalho foi concebido com a parceria do Centre Recollet/ Paris, Instituto Frances e Marie de Paris.


Abundância Parte 3 – “Multidão” / Quarteto

Desenvolvida em residência artística com que a bailarina e coreógrafa Flávia Tápias foi contemplada, em co-produção do Lês Collectif Essone Danse e com suporte do DRAC de Paris, a parte 3 dá continuidade às partes 1 e 2, trabalha a ideia de multidão, de grande número de indivíduos atuando ao mesmo tempo, e coloca em cena um “se apossar” do tempo do outro, como se esse tempo fosse, por direito, também o seu tempo. Quando “online” – o alcance é permitido, a oferta à invasão é feita. Estar com seu tempo no tempo do outro. Conteúdos pessoais ganhando dimensões onde tudo pode ser remexido e transformado.

Abundância Parte 4 – “Corpo Estrangeiro” / Solo- Instalação

Desenvolve a concepção de um corpo longe de sua terra natal, envolvido por outras culturas e com a sensação inicial de não pertencimento àquele lugar, àquele povo, mas encontrando conforto nas facilidades de comunicação do mundo tecnológico, que acaba encurtando distâncias. Na verdade, ser estrangeiro é uma posição relativa. Estrangeiro a si? Estrangeiro a tudo? Estrangeiro ao mundo de hoje? Inspira-se nas transformações espaço/temporais trazidas pelas novas tecnologias e estabelece diálogo com novas mídias. A tela viabiliza novos espaços e novos ângulos à dança, desafia a física, multiplica bailarinos, acelera ou desacelera movimentos. No diálogo com o vídeo, a dança ultrapassa os limites de um palco convencional, e cria uma dimensão coreográfica nova. Ao interagir com a tecnologia a dança dos novos tempos também se deixa afetar, e se coloca em constante renovação.

FICHA Técnica GERAL:
Concepção: Flávia Tápias
Coreografia: Flávia Tápias, Damian Muñoz e Virginia Garcias
Produção: CDPD-RJ
Contato internacional: Thomas Degas
Desenho de Luz: Paulo César Medeiros
Sonoplastia: Marcio Schwartz
Assessoria de Imprensa: Luciana Medeiros
Figurino: Ney Madeira
Design Gráfico: Letícia Andrade
Fotografias: Renato Mangolin, Garance Maillet e Clarissa Baumann
Vídeo: Luciana Ponso e Mauro Kury
Intérpretes: Flávia Tápias, Antonio Rodrigues, Gaétan Jamard e Marie Urvoy
Anjo: Alexandre Bado

Dia 09 de Agosto, Sábado

Das 14h15 às 16h – Oficina – Prática compartilhada do espetáculo “Abundância”

tapias

Processo de criação do espetáculo Abundância.
Com Flávia Tápias, RJ.


20h – Espetáculo – Abundância (60 min)

abundancia

Com GRUPO TÁPIAS – Rio de Janeiro/RJ.
Intérpretes – Flávia Tápias/Rj e Paris, Gaétan Jamard/Lyon, Marie Urvoy/Paris e Toni Rodrigues/RJ.

Dia 10 de Agosto, Domingo

19h – Lançamentos – Livro 30 anos do Grupo de Dança Primeiro Ato e Documentário “Abondance, Processo de criação”

ato

Noite de autógrafos com um bate papo com Suely Machado/MG sobre a trajetória do Grupo de Dança Primeiro Ato e o projeto TECENDO ENCONTROS.
Após a apresentação do documentário de Luciana Ponso/RJ, a noite se encerrará com um bate papo com os participantes do documentário e um coquetel, para selar e brindar os lançamentos.

atos